ABN - Agência Brasil de Notícias

MENU
BUSCAR
MENU
BUSCAR

Tóquio 2020




Judô

Com luta polêmica, Maria Portela perde a chance de ganhar o ouro no judô

A vitória foi da russa Madina, após a brasileira receber uma terceira punição por falta de combatividade.

Por Redação Abn, 28/07/2021 10:56

Na madrugada desta quarta-feira (28), a judoca Maria Portela foi eliminada durante a luta com Madina Taimazova, da Rússia. A luta das oitavas de final na categoria até 70 kg da Olimpíada de Tóquio foi considerada histórica e polêmica. A vitória foi da russa Madina, que veio após a brasileira receber uma terceira punição por falta de combatividade.

A competição durou mais de 14 minutos, sendo que 10 minutos foram apenas de ‘golden score’, que se trata do tempo extra no qual vence o atleta que pontuar primeiro. A gaúcha teve dificuldades para alcançar a parte de cima do quimono da russa. Durante o golden score, Portela derrubou Taimazova com a parte das costas no tatame, o que configuraria um wazari.

Mesmo o lance analisado pela arbitragem de vídeo, o juiz não computou ponto. Após quase 15 minutos de luta, cada uma das atletas já somava dois shidos, uma penalidade do judô e uma terceira punição iria resultar na desclassificação.

O juiz então sinalizou uma terceira penalidade para Portela, alegando falta de combatividade, que seria quando um atleta permanece por 20 segundos sem buscar progredir na posição, ou seja, sem buscar uma posição progressiva passível de pontuação ou finalização. A brasileira ficou devastada com a decisão e foi as lagrimas ainda no tatame.

Em redes sociais, Maria Portela se manifestou: "O árbitro, se a gente não define, ele tem que definir. E quem tiver um pouco mais de iniciativa, vai levar. Não foi culpa dele. Eu tinha que ter sido mais agressiva, imposto mais o ritmo, por mais que não fosse efetiva. Isso foi o que ela fez e acabou levando", enfatizou a gaúcha.

Muitos brasileiros e  ex-judocas se manifestram nas redes sociais contra o posicionamento do juiz, isso porque a penalidade veio 10 minutos depois de Portela levar sua adversária ao chão e não ter um ponto contabilizado. Flávio Canto e o campeão mundial Luciano Correa reclamaram da arbitragem após o combate, que foi o mais longo da Olimpíada de Tóquio.

A brasileira volta ao tatame do Budokan neste sábado (31), juntamente com o brasileiro Rafael, para a disputarem por equipes, novidade na edição deste ano dos Jogos Olímpicos. 

ABN - Agência Brasil de Notícias

© Copyright 2022 ABN - Agência Brasil de Notícias.

Nome completo

E-mail

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail nossas notícias em seu e-mail em tempo real.

Faça sua busca em nosso banco de notícias

Nome

Aguarde carregando...

Aguarde, carregando o sistema...

0%

Cadastre-se

Nome completo ou nome da empresa

E-mail

CPF ou CNPJ

Telefone fixo

Celular

Senha


Esqueci Minha Senha

Voltar ao login


Formulário de contato

Nome

E-mail

Telefone ou celular

Texto