ABN - Agência Brasil de Notícias

MENU
BUSCAR
MENU
BUSCAR

Brasil




Mistério

Em carta psicografada, Eliza Samudio revela onde seu corpo foi escondido

Crime aconteceu em 2010. Bruno Fernandes, ex-goleiro do Flamengo, foi condenado por ser mandante do crime

Por Filipe Vasconcelos, 02/08/2022 10:37

Foto: Reprodução/Facebook

A vidente Chaline Grazik, conhecida por fazer previsões de famosos em seu perfil do Instagram, publicou um vídeo em seu perfil lendo uma carta psicografada que, supostamente, é de autoria de Eliza Samudio, morta em 2010. Bruno Fernandes, na época, goleiro do Flamengo, foi apontado como mandante do crime devido a uma cobrança de pensão alimentícia.

A vidente leu um trecho bastante chocante da carta. "Foi cruel, foi horroroso. Eu tentava pedir socorro, mas ninguém me ouviu. Meu pescoço doía tanto, apertaram, até faltar oxigênio no meu corpo. Mas, neste momento, meu espírito saiu imediatamente do corpo. Ficou perto de uma árvore de onde vi tudo o que fizeram comigo. De repente, veio um homem mal-encarado, de pele morena e camiseta vermelha. Naquele dia eu não sabia quem era ele. Mas eu conseguia ver tudo o que faziam comigo, uma sensação que eles tinham de pavor, que não sabiam o que fazer. Pareciam endemoniados. Nunca imaginei do que fossem capazes. Um dizia para o outro como esconder o corpo... Ddecidiram me jogar num rio, que lembro nitidamente, um rio fétido. Pegaram uma madeira com fiapos e me bateram muito, até que meu corpo ficasse no fundo. Eles tinham cara de apavorados, mas mesmo assim cometeram o crime. Eu vi tudo, senti tudo" relatou a vidente.

Embora tenha revelado detalhes do crime, a modelo não revelou a região exata onde seu corpo foi escondido. O vídeo de Grazik viralizou nas redes sociais na manhã desta terça-feira (02).

Bruno teria mandado matar Eliza Samudio em um sítio. Estiveram envolvidos no crime Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo do jogador e Jorge Luiz Rosa, primo de Bruno. O responsável por matá-la teria sido o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Foi ele quem, em teoria, jogou os restos mortais de Eliza para os cachorros.  Eliza foi morta em 2010. Após o crime, Bruno foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão, e hoje cumpre pena em regime semiaberto. Já Macarrão, considerado culpado em 2012, cumpre prisão domiciliar. Bola permanece na cadeia.

 

ABN - Agência Brasil de Notícias

© Copyright 2022 ABN - Agência Brasil de Notícias.

Nome completo

E-mail

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail nossas notícias em seu e-mail em tempo real.

Faça sua busca em nosso banco de notícias

Nome

Aguarde carregando...

Aguarde, carregando o sistema...

0%

Cadastre-se

Nome completo ou nome da empresa

E-mail

CPF ou CNPJ

Telefone fixo

Celular

Senha


Esqueci Minha Senha

Voltar ao login


Formulário de contato

Nome

E-mail

Telefone ou celular

Texto